apartamento

Amigos Que compartilham suas vidas

O Apêzinho

O Apêzinho

domingo, 9 de abril de 2017

Continuação..... Meu pequeno guerreiro Gui

Oi amadas, queria continuar nossa história, para quem está chegando agora não vai entender nada, então antes dá uma passadinha no link aí em baixo


Com certeza vai rolar mais um pouquinho de lágrimas...... minha vida, meu amorzinho!!!


A cardiopatia dom meu príncipe era muito complexa, e os médicos nunca nos davam muitas esperanças, fizemos então uma promessa um ao outro que não iríamos ficar pesquisando sobre a gravidade da sua cardiopatia para não ficarmos mais desesperados ainda, deixamos tudo nas mãos de Deus, com certeza ele nos daria o milagre, não contamos para nenhum familiar, sempre me pergunto se essa foi uma boa decisão e sim, foi uma boa decisão, com essa atitude nos poupamos de muitas opiniões diferentes que naquele momento não iria nos trazer conforto, aguentamos, lutamos e enfrentamos cada dia dessa batalha não sozinhos, pois toda equipe médica se tornou nossos melhores amigos naquele momento, mas sem ninguém que conhecíamos soubesse tudo que estávamos passando. Não, não foi nada fácil.



Foram dias de luta, e nosso príncipe se mostrava forte, aquele bebê frágil já era um verdadeiro herói, eram tantos defeitos em seu pequeno coração.
Atresia tricúspide com vasos transpostos; Hipoplasia de ventrículo direito; PCA; CIV não restritiva; Coarctação da aorta; CIA fossa oval; Redução de calibre na porção ascendente do arco aórtico
Não entendíamos nada do que estava acontecendo, apenas acreditávamos que todo esse pesadelo iria acabar logo e nosso bebê iria para casa, para explicar de uma forma mais simples sua circulação não era adequada e com isso logo veio sua primeira infecção, antibióticos e jejum, era angustiante te ver ali tão indefeso e não poder fazer nada, e meu Gui sempre se mostrava mais forte e logo melhorava, como era feliz, sim eu tinha um príncipe com um alma alegre, sorridente, na noite de Natal assim que chegamos no hospital ganhei o maior e melhor presente, um sorriso, sim um sorriso, o melhor de todos ele sabia que estávamos ali ao seu lado para enfrentar todos os obstáculos ao lado dele, comemoramos Natal, Ano Novo, seu primeiro mesversário, tudo era comemorado com muita alegria pois não tínhamos nenhuma dúvida que ele conseguiria superar todas essas dificuldades e seria nosso vencedor.








Nunca irei me esquecer do dia 4 de janeiro de 2017, foi o dia que ganhei um presente mágico, mesmo entubado me deixaram pegar meu Gui no colo, meu Deus quanta alegria, depois de mais de um mês senti seu cheiro, seu calor, senti sua alma, te dei um beijinho, conversamos tanto esse dia, fizemos tantos planos, era muito amor ali naquele momento...


 Acho que ali naquele dia você cumpria sua missão na terra, depois desse dia nada mais foi igual, logo veio sua segunda infecção, mais forte, mais sofrida, não deixaram o papai te segurar, pois já não estava mais estável, logo tiraram ele da incubadora e colocaram no bercinho, todo bebê com peso de 1.700kg é promovido para o berço, meu Gui pesava apenas 1.500kg mas eram tantas medicações, tantos acessos que foi promovido antes para facilitar seu manuseio e evitar erros.
Nunca nos enganaram ou esconderam o tamanho da sua gravidade, apenas nunca perdemos a fé ou a esperança, eram tantas alegrias e tantas tristezas dentro daquela UTI, não era apenas meu Gui que estava ali precisando tanto de Deus e de um milagre, vimos tantas histórias com finais felizes, eu amava quando algum bebê tinha alta, toda equipe fazia um corredor e todos batíamos palmas para comemorar sua ida para casa, sempre pedia á Deus para nunca tirar essa alegria de mim e para que um dia chegasse nossa vez, foram muitas amizades conquistadas que para sempre vou levar comigo, mães, técnicas, enfermeiras e médicos uma família nova que chorava e comemorava todos os dias as novidades de todos os anjinhos que lá estavam.
Nunca vou me esquecer do dia que Deus levou um amiguinho do Gui, quanto sofrimento, como queria tirar com as mãos a dor daquela mãe, pensava que não era justo, um bebê tão inocente ter que passar por todo aquele sofrimento, e aquele dia foi triste sem nenhum sorriso dentro da NEO.
Certo dia na hora do banho deixaram papai segurá-lo no colo, de pé mesmo, rapidinho apenas para trocar a roupa de cama, quanta emoção, pela primeira vez depois de quase dois meses papai te pegou no colo. Meu Gui nem conseguiu se recuperar da segunda infecção e logo veio a terceira, sim sua terceira enterocolite que graças à Deus não precisou ser feito cirurgia em nenhuma delas, digo isso, pois vi dois casos que logo em sua primeira enterocolite os bebês precisaram de intervenção médica, e meu Gui estava lá lutando bravamente por nós, eram tantas medicações que cada dia ele inchava mais, não tinha como evitar era mais volume do que seus rins podiam filtrar, estava ficando cada vez mais difícil de achar suas veias, e lembro de certa vez que contei onze furos em cada bracinho, eu aos prantos e você me deu um sorriso, como dizendo calma mamãe está tudo bem. Logo precisou realizar uma flebotomia onde é realizado uma micro cirurgia para colocar o acesso visualizando a veia, dessa forma não iriam precisar ficar furando ele toda hora.

Meu primeiro topete.... riqueza da mamãe!!!

Mesmo assim nosso pequeno não melhorava e sua retenção de líquidos só aumentava, certo dia os médicos conversaram conosco e disseram que seria necessário fazer um procedimento que se chama diálise, não é como em adultos, era como se fosse um dreno, onde colocavam uma medicação e ela ajudava e retirar excesso de líquido, meu Deus quantas intervenções ele precisou, todos os dias ia embora com o coração na mão, mas com pensamento que logo essa fase ruim iria passar. Não me arrependo em nenhum momento de não ter tido dúvidas, por pior que fosse sua situação nunca pensava no pior, sempre pensava em ter meu bebê em casa, no seu quartinho, em seu bercinho e em nossos braços, foi quando recebemos uma ligação logo cedinho, já estávamos prontos para ir para o hospital, era dia 12 de fevereiro e pediam para irmos para o hospital que os médicos queriam conversar conosco, meu Deus que desespero, no dia anterior seus exames estavam ótimos, as plaquetas tinham aumentado, seu ultrassom de crânio que antes tinha hemorragia grau I já tinha sido absorvido, o PCA que determina infecção tinha diminuído, porque estavam nos ligando, o choro tomou conta e pela primeira vez tive dúvidas da sua melhora.
            Quando chegamos a triste notícia de que nosso Gui tinha piorado muito à noite, seus batimentos quase não existiam, seus rins haviam parado e só estava vivo por conta dos aparelhos e medicações, meninas essa história não teve um final feliz, às 9:10 da manhã nosso Gui foi levado ao céu, não acreditava que aquilo estava acontecendo conosco, porque Deus, ele lutou tanto, sofreu tanto para acabar assim, ele merecia viver, segurei meu filho pela segunda vez no colo ainda vivo por longos minutos e pedi à Deus um milagre, papai também o pegou e assim os médicos foram desligando seus aparelhos um a um e foi nos braços do papai que ele nos deixou, tinha acabado, naquele momento tudo acabou, nossas esperanças, nossos sonhos e seu sofrimento.
Nosso Gui foi um vencedor, um guerreiro, lutou por nós até o último minuto e nos esperou para dizer até logo, hoje é um anjinho que me ajuda a seguir em frente, me dá forças para levantar todos os dias, levo ele dentro de mim para todo sempre, como amei meu Gui, como fomos felizes apesar de todo sofrimento, foram 26 semanas que carreguei na minha barriga e 74 dias que o tive comigo, o suficiente para sentir o maior amor do mundo.
Se ele fosse somente prematuro sem sua cardiopatia hoje estaria em casa... se fosse cardiopata e tivesse nascido no tempo certo teria feito sua primeira cirurgia e estaria em casa... sua maior dificuldade foi ser pequeno demais para sua primeira cirurgia e enquanto tentava ganhar peso sua má circulação lhe rendia infecções.
Creio que tudo nessa vida tenha um propósito, em todo esse tempo a maior parte do meu leite foi doado para um hospital, sei que ajudou muitos bebês prematuros que suas mães não tem leite, ou simplesmente foram abandonados. Meu Gui com certeza salvou vidas nesse tão curto tempo que viveu, tenho muito orgulho disso, me conforta saber que muitas crianças estão bem hoje graças ao meu filho.
Como meu Gui foi amado, amado por todos, família, amigos, pessoas próximas e pessoas que nunca conhecemos, todos o amavam, torciam e rezavam por sua vitória, ele em tão pouco tempo trouxe amor, fé e perseverança para todos que sabiam da sua história, nos ensinou a nunca desistir, nos ensinou a lutar por aquilo que acreditamos sem ter dúvidas da vitória, nos ensinou a sermos fortes sustentando um ao outro e nos proporcionou sentirmos o maior amor do mundo, sempre será nosso primeiro filho, um filho alegre e sorridente o filho que lutou tanto para ficar conosco mas Deus queria um anjinho ao seu lado, e foi feita sua vontade.



“Somos feitos para vida e não para morte, seja o teu amor o meu consolo”

10 comentários:

  1. Você é uma guerreira, e o Gui um anjo lindo que brilha no céu, que Deus possa continuar dando forças pra vocês, porque eu posso imaginar que não deve ser fácil ... Não consigo nem escrever de tanto que choro, fiquem Bem Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana Paula, com certeza meu anjo brilha mesmo no céu!

      Excluir
  2. Deus está com você.
    Confesso que não pude ler até o fim, meu coração doeu demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo muito triste o fim da nossa história amada....

      Excluir
  3. Chorei... senti sua emoção e nao segurei a minha. Minha linda, falar sei que é facil, mas tudo nessa vida tem um propósito. Seu menino vive, só que em outro plano... Um grande abraço e tenham força.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh amore obrigada por todo carinho e sentimentos por nossa história, meu príncipe vive sim eu sei!

      Excluir
  4. ... Acompanhei um episódio bem parecido, minha irmã que passou por tudo isso,e com a graça de Deus, minha sobrinha hj tem 8 anos, de muita saúde... Sinto muito por vc's, a perda que tiveram foi grande, mas saiba que o céu está alegre de ter recebido um anjinho lutador Gui... e hj ele brilha la no céu como uma estrela... força e felicidades a vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei muito feliz por sua sobrinha, queria muito ter um final feliz assim como sua irmã, Deus abençoe vocês sempre, muito obrigada flor!

      Excluir
  5. Vc arrancou lágrimas dos olhos e despertou um sentimento tão bonito. Que linda história. Que força você tem! Que nosso Deus continue a guiá-la. Sim, tudo na vida tem um propósito de acontecer, às vezes nunca saberemos os motivos que Deus tem! Siga em frente pq sua história te fez mais forte. Seu bb está bem!! Fique em paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohh amada obrigada por suas palavras e pelo carinho, sei que nossa história ainda não teve um ponto final.

      Excluir

Dê uma espiadinha nesses aqui......